PROJETO ESTAÇÃO CULTURA

PROJETO ESTAÇÃO CULTURA

ACONTECEU...

Como não poderia deixar de ser, o 5º Festival Cultural de Miguel Burnier foi um Grande Sucesso... contando com a presença dos diversos artistas, em todos os seus seguimentos durante os dias 13, 14 e 15 de setembro de 2013. Este grande
sucesso teve como principal motivador a vontade manifestada pelos organizadores. PARABÉNS A TODOS!!!
O Festival Cultural representa uma “mudança de perspectiva no fazer cultural burnierense, o despertar de uma nova realidade, no sentido da abertura de investimentos no setor e do próprio modo como as pessoas vêem a produção cultural em nosso Distrito, possibilitando uma maior valorização da cultura.
Cuidar da nossa cultura é perpetuar a nossa identidade e esse é um compromisso que o Projeto Estação Cultura assume com o povo de Miguel Burnier”.
Confiram as fotos deste Grande Evento!


Interprograma Diorama - Miguel Burnier.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário sobre o Projeto Estação Cultura

A história passa por aqui...

Hino de Miguel Burnier ...!

Terra amiga , Risonha altameira,
És orgulho sagrado dos teus
O teu lema é a tua bandeira
É família, é pátria, é Deus

Orgulhosa de efeitos lendários,
Marcha firme feliz sobranceiras,
No trabalho de seus operários,
Que é a vida da terra mineira.

Na riqueza sem par inaudita
Do teu solo soberbo e fecundo
Tua mina de terra bendita
Jorra ferro ao consumo do mundo

Burnier Oh Terra Querida
Oh Amado e querido rincão
Seja vinda cem anos vivida
Vicerás sempre em meu coração.


Fonte: Catálogo Telefônico Dos Distritos de Ouro Preto - vigência 09/2010 a 09/2012 - Editora Latini. Direção de Fabiano Oliveira Latini

Chegando em Miguel Burnier!

Final do séc. XIX, em 1887, foi inaugurada a Estação Ferroviária de Miguel Burnier, ponto de encontro da 1ª Estrada de Ferro do Brasil, a Central do Brasil. Bem vindo a Miguel Burnier!
Miguel Burnier sempre impressionou a todos que por ali passou. No início pelo seu movimento, em pleno desenvolvimento do país. Hoje, pela história e a riqueza de seus Patrimônios.
Destinos! Dependendo da hora da chegada do trem e da saída do próximo trem, muitos se hospedavam no Grande Hotel de Miguel Burnier, onde, segundo relatos de moradores, já funcionou projeção de filmes, um pequeno cinema. Cultura e infra-estrutura para receber a todos.
Em épocas do desenvolvimento do Brasil, chegavam na Estação Ferroviária de Miguel Burnier - EFMB - todos os tipos de personalidades e cargas. A Estrada de Ferro Central do Brasil chegou em Ouro Preto no ano de 1889, ano em que se iniciou a construção da nova capital mineira, Belo Horizonte. Se o trem vinha de Ouro Preto ou se o seu destino fosse Ouro Preto, Miguel Burnier seria com certeza ponto de parada. A nova Belo Horizonte recebia de todas as partes do Brasil e do mundo, materiais e mão de obra para sua construção. Miguel Burnier era ponto de troca de linha, praticamente todos teriam que desembarcar em Miguel Burnier. Personalidades e cargas.
Os funcionários da Estrada de Ferro já se levantavam quando o apito do trem soava nas terras de Miguel Burnier. A cada trem, o inusitado. O alojamento era local de conforto e trocas de experiências da Estrada de Ferro que demonstrava desenvolvimento em sua operação.
A Estrada de Ferro Central do Brasil chegou a Ouro Preto em 1889, tendo a Família Real como passageiros em sua viajem inaugural. O ano de 1889 foi o ano em que o Brasil deixou de ser Império para virar República, e a nova Capital Minera, Belo Horizonte, deu início à sua construção. No ano anterior, em 1888, Carlos Wigg, Alberto Gerspacher e Amaro da Silveira inauguraram em Itabirito, MG, o primeiro alto-forno do Brasil, a Usina Esperança. Ano de assinatura da Lei Aurea. Miguel Burnier, quanta história!
Chegamos em Miguel Burnier. Iremos desembarcar e contar um pouco da história deste rico distrito. Venham conosco! Vamos conhecer os Patrimônios Históricos e Culturais de Miguel Burnier.
A Conserva de Vagões funcionava como oficina, onde eram feitos os reparos em máquinas e vagões. O movimento de trens foi bastante expressivo em Miguel Burnier, sendo a Conserva um instrumento de grande utilidade na operação da estrada de ferro no Brasil.
Nos despedimos da Estação Ferroviária de Miguel Burnier, palco de grandes encontros e despedidas, e de seus anexos mais próximos. Parabéns EFMB, por mais de um século em operação. Agradecemos sua importante participação no desenvolvimento do nosso país. Grande Estação!

Locomotivas na década de 1940.

Locomotivas na década de 1940.
ACIMA: Duas velhas máquinas a vapor posam no pátio de Miguel Burnier, anos 1940 ou 1950: a 383, uma Pacific de bitola larga e quase idêntica à Zezé Leone, que foi restaurada em Santos Dumont em 2009, e a 1423, que é uma Mikado de bitola métrica, irmã gêmea da 1424 que está em Cruzeiro, também reformada. (Acervo Marcelo Lordeiro).
As locomotivas a vapor, responsáveis pelo transporte ferroviário em épocas de desenvolvimento do Brasil, abasteciam-se na caixa d'água. Uma forte estrutura, tendo gravado em sua caixa de aço a data de 1900.
Vamos sentido a Belo Horizonte. Em uma linha, diversas pessoas já seguriam para BH. Na outra linha, vinham de BH. O desembarque em Miguel Burnier era certo. Comiam pão com linquiça em meios de prosas. Miguel Burnier, o encontro e a despedida.
No pátio, a quantidade de vagões estacionados impressionavam a todos. Cargas de diversos cantos do Brasil e do Mundo. Máquinas e vagões dividiam as linhas no pátio da Estação Ferroviária de Miguel Burnier.

Pátio Ferroviário de Miguel Burnier na década de 1970
Com sua balança, Miguel Burnier se tornou ponto de pesagem de diversas cargas da estrada de ferro no Brasil. Principalmente a exploração e a produção local. O minério de ferro e sua fundição. Siderurgia e ferrovia, união no desenvolvimento do Brasil.
Olha o túnel! Portal de entrada e saída do grande pátio da Estação Ferroviária de Miguel Burnier. São aproximadamente 200 metros de extensão.
Além do conjunto da EFMB, outros Patrimônios Históricos fantásticos se escondem em Miguel Burnier. Vamos conhecê-los.
Em 1893, Carlos Wigg, J. Gerspacher e Amaro da Silveira, colocaram em operação o 2° alto-forno do Brasil, a usina Wigg. Produção de ferro que, em conjunto com a EFMB, alimentava o desenvolvimento de todo o Brasil. O auto-forno se encontra dentro da planta da Gerdau Açominas, e não foi permitido fotografá-lo de perto.
Estes são os depósitos de carvão, combustível da Usina Wigg. Carrinhos utilizados na época ainda se encontram no interior dos depósitos.
Carlos Wigg, grande personagem da história de Miguel Burnier. Possibilitou a interação entre dois polos importantes do desenvolvimento brasileiro, a siderurgia e a ferrovia. Em seu alto-forno, de 1893, produziu matéria prima para todo o Brasil. O ponto de venda era a EFMB, a 500 metros do alto-forno. Carlos Wigg, investidor de 80% na construção da Usina Wigg e 70% da Usina Esperança, pioneiras na siderurgia, teve grande influência na cultura de Miguel Burnier. Assistência aos trabalhadores em suas necessidades, escola de música, religiosidade e autoridade.
Esposa de Carlos Wigg, Alice Wigg foi uma personagem importante na história e na cultura de Miguel Burnier. Sua religiosidade é retrada no Templo do Sagrado Coração de Jesus. Uma grande obra da arquitetura Cristã, tendo sua construção concluída em 1934. Um belo Patrimônio de Miguel Burnier.

A cultura em Miguel Burnier

Com todos esses Patrimônios Históricos, Miguel Burnier preserva a cultura e tradições locais importantes. Vamos conhecê-las.

Congado de Santa Efigênia e Nossa Senhora do Rosário

O Congado em Miguel Burnier é uma cultura que pecorre gerações desde 1947. Capitão Xisto conduz o congado com honra e respeito. Patrimônio Imaterial de Miguel Burnier.

Corporação Musical Sagrados Corações de Jesus e Maria

A música proporciona conquistas no interior do ser-humano. Maestro Jerônimo Cecílio passa seus conhecimentos na formação de jovens músicos no distrito de Miguel Burnier

Coral Sagrado Coração de Jesus

Músicas em louvor a Deus. Atuantes na comunidade religiosa de Miguel Burnier, o Coral Sagrado Coração de Jesus alegra os dias de missa, demonstrando entrosamento e harmonia. A música e a fé.

Artesanato:

A cultura popular de Miguel Burnier se retrata nas mãos de Artesãos, moradores da comunidade de Miguel Burnier. Trabalhos de qualidade e criatividade que impressionam aos que tem acesso. No anonimato de Miguel Burnier, a arte de criar com as mãos os sonhos e tradições desta comunidade rica em história.

3° Festival Cultural de Miguel Burnier

3° Festival Cultural de Miguel Burnier
Vamos sentir as emoções do 3° Festival Cultural de Miguel Burnier, realizado no distrito de Miguel Burnier, município de Ouro Preto, MG, nos dias 12, 13 e 14 de novembro de 2011. Cidadania, educação e cultura...
A estrutura montada para o 3º Festival Cultural de Miguel Burnier proporcionou abrigo e interação entre o público, os artistas e a comunidade de Miguel Burnier...

Estrutura do 3º Festival Cultural de Miguel Burnier
A primeira apresentação do 3° Festival Cultural de Miguel Burnier, no dia 12/11/11, foi a belíssima apresentação da Corporação Musical Sagrado Coração de Jesus e Maria, de Miguel Burnier. Moradores e ex-moradores do distrito demonstraram harmonia e disciplina na condução do repertório musical. Agradecemos e parabenizamos os músicos e o maestro Jerônimo Cecílio...

Corporação Musical Sagrado Coração de Jesus e Maria

Corporação Musical Sagrado Coração de Jesus e Maria
O Palhaço Arco Iris interagiu, garantindo a alegria das crianças e do público do 3º Festival Cultural de Miguel Burnier. Um grande amigo e parceiro do Projeto Estação Cultura...

Palhaço Arco Iris!

Palhaço Arco Iris!
Membros da comunidade de Miguel Burnier, Ti Nem e Zezé Gambá, não se intimidaram e subiram no palco, dando uma canja no 3º Festival Cultural de Miguel Burnier...

Ti Nem e Zezé Gambá

Ti Nem e Zezé Gambá
O Grupo Cultural de Dança Afro Zambi Odara demonstrou a importância da cultura afro em nosso país, ressaltando ainda mais o mês em que se comemora a Consciência Negra, novembro...

Grupo Cultural de Dança Afro Zambi Odara

Grupo Cultural de Dança Afro Zambi Odara

Loading...
Alex Bohrer lançou o seu livro "Ouro Preto: Um Novo Olhar" no 3º Festival Cultural de Miguel Burnier, confirmando, em sua apresentação, o valor histórico de Miguel Burnier...

Lançamento do livro "Ouro Preto: Um Novo Olhar" com Alex Bohrer

Lançamento do livro "Ouro Preto: Um Novo Olhar" com Alex Bohrer
Com sua apresentação inusitada, o 7 Estrelo animou o público no lançamento do seu CD "Terra Vive". André Lanari e Bruno Tonelli, grandes artistas no 3º Festival Cultural de Miguel Burnier...

7 Estrelo

7 Estrelo na Estrada - Cap. 1

Loading...
Dani Magalhães e Banda fizeram um grande show encerrando as apresentações no sábado do 3º Festival Cultural de Miguel Burnier. Dani Magalhães e Ednir Magalhães, ex-moradoras de Miguel Burnier, ressaltaram o talento pela música...

Dani Magalhães e Banda

Dani Magalhães e Banda

Loading...
BLOG EM ATUALIZAÇÃO
AUDÊNCIA PÚBLICA EM MIGUEL BURNIER

A Promotoria do Mnistério Público Estadual de Minas Gerais, de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico, solicitou Audiência Pública no processo de licenciamento ambiental para expansão das operações da Gerdau Açominas no distrito de Miguel Burnier, realizada no dia 10 de fevereiro de 2011.

Antes da Audiência Pública, o "frio na barriga" era inevitável. Não sabíamos como seria conduzida e nem como seria a reação de todos. A maior surpresa foi o grande número de participantes, caracterizando o interesse coletivo nos esclarecimentos da empresa sobre os impactos de seu empreendimento, e sobre as melhorias nas comunidades que vivem no distrito de Miguel Burnier e no subdistrito do Mota.

A Gerdau e a empresa responsável pelo projeto de licenciamento ambiental, YKS, fizeram suas apresentações, bem técnicas. A expressão no rosto da maioria dos presentes ainda era de muitas dúvidas e preocupações.

Quando a mesa, presidida pela Superintendente da SUPRAM, Scheilla Samartini, anunciou o Ministério Público, a expectativa de todos, sem distinção, era em saber os motivos daquele momento. O Promotor Ronaldo Crawford, de Ouro Preto, falou da importância da atuação do Ministério Público, e passou a palavra para o Promotor Marcos Paulo de Souza Miranda, Coordenador da Promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, para a exposição sobre o projeto de licenciamento ambiental apresentado pela empresa YKS. O Promotor Marcos Paulo não poupou palavras e criticou o trabalho apresentado pela YKS, ressaltando o valor histórico e cultural de Miguel Burnier, que foram considerados de forma sucinta no projeto, e a necessidade de respeito às comunidades que vivem no distrito, colocando a importância dos patrimônios e de investimentos que possibilitem o desenvolvimento social e cultural de Miguel Burnier, e que garantam às comunidades os valores como seres-humanos e a preservação de suas raízes. A reação do público durante toda a exposição do Promotor Marcos Paulo foi de extrema exaltação positiva na preocupação com o distrito, onde as mãos dos presentes estavam visivelmente vermelhas pela quantidade de aplausos. Os sussurros retratavam a satisfação, "falou tudo que gostaríamos de falar", "por que ele não veio aqui antes", "temos que ser respeitados", "ele é bom",...

Após a fala do Promotor, várias pessoas da sociedade civil e do poder público, devidamente inscritos e no tempo delimitado, fizeram suas exposições demonstrando as preocupações com o distrito de Miguel Burnier e o subdistrito do Mota, e com a situação precária de suas comunidades, expressando sobre o potencial de Miguel Burnier em contraponto ao longo período de abandono vivido pelo distrito. Resumindo as falas, Miguel Burnier e o Mota precisam ser valorizados e respeitados, tendo ações e investimentos que garantam o desenvolvimento das comunidades.

Nas réplicas, o representante da Gerdau ressaltou que terão maior atenção com o distrito de Miguel Burnier e o subdistrito do Mota, e o representante da empresa YKS falou que revisarão o projeto de licenciamento ambiental, onde a parte de patrimônio cultural irá satisfazer as expectativas do Ministério Público. A Gerdau anunciou que em acordo com o Ministério Público, serão investidos R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) na requalificação da Estação Ferroviária de Miguel Burnier, sendo uma conquista de todos os envolvidos com a preservação do patrimônio ferroviário de Miguel Burnier.

O sentimento, agora, é que Miguel Burnier melhorará socialmente e culturalmente. Esperança...

Arquivo do blog